Make your own free website on Tripod.com
 

 

Minerais

Os sais minerais são substâncias inorgânicas que contém elementos que o corpo necessita em quantidades relativamente pequenas. Há 22 elementos metálicos no organismo, que contém cerca de 4% do peso corporal total.
Os sais minerais são encontrados abundantemente no solo e na água do planeta e, eventualmente, são captados pelas raízes das plantas. Nos obtemos sais minerais comendo as plantas ou os animais que comem plantas. Se você ingere uma variedade de carnes e vegetais na sua dieta, você pode ingerir sais minerais em quantidades suficientes.
Os sais minerais atuam no organismo em uma variedade de processos metabólicos e contribuem para a síntese de compostos químicos como glicogênio, proteínas e gorduras.

Água

A água é um componente principal do corpo, freqüentemente é negligenciada como um nutriente vital. Ela age no transporte de várias substancias químicas e é o meio pelo qual ocorre várias reações bioquímicas.
O corpo é composto de 40 a 60% de água. Você pode lembrar-se que o músculo é composto de 72% de água por unidade de peso, enquanto a gordura contém apenas 20 a 25% de água.

Agora você verá um pouco sobre o aparelho digestivo do cão tendo uma noção sobre como agem os nutrientes no metabolismo do cão.

O cão utiliza os alimentos do ambiente exterior para integrar o seu próprio corpo, substituir partes e liberar energias: como uma máquina. E como uma máquina, embora regule si mesma, deve ser tratado. As exigências são diferentes segundo a idade, sexo, a saúde, a raça, o ambiente, o trabalho também a alimentação deve ser distinta: um desequilíbrio pode provocar alterações mais ou menos graves.
Se o animal mantém com uma dieta conveniente em quantidade, qualidade ou proporção entre os distintos componentes, será um cão robusto, no caso contrario, será sempre um cão doente. É francamente superior o numero de cães que morreram por uma alimentação exagerada (em qualidade e em quantidade) que o de cães mortos por falta de alimento. Basta pensar nas indigestões, cáries, eczemas, nefrite, obesidade, doenças vasculares, raquitismo, olhos remelosos, fragilidade óssea, alterações no fígado, falta de resistência a doenças, (para não citar mais casos entre os mais comuns) para convencer-se da importância da alimentação e da conveniência de usar a dieta como primeira arma profilática.

O APARELHO DIGESTIVO

O aparelho digestivo tem por função introduzir as substâncias alimentícias, elabora-las e incorpora-las a corrente circulatória que as distribui por todo organismo.
A sua conformação é a de um tubo que vai desde a cavidade oral até o anus. Na porção abdominal está revestido pelo peritnio, que o sustenta. Todas as víceras ocas estão formadas por três estratos: um interno, a mucosa, com distintas glândulas secretoras, um muscular de fibras lisas longitudinais e circulares, um terceiro a -a serosa- que vai do diafragma ao reto. A disposição da serosa (peritônio) é complexa, mas pode-se imagina-la como uma membrana que reveste a cavidade abdominal (peritônio parietal). Acima, ambas as laminas se unem (mesentério) e revestem exteriormente o tubo intestinal, o baço, o fígado (peritônio visceral) no mesentério circulam os vasos e nervos.
Em geral, o cão não mastiga e não impregnam de saliva os alimentos, como faz o homem, em certas medidas porque seus dentes, são mais aptos, para reduzir a comida a pedacinhos do que para torna-la uma papa. A digestão, portanto, não se inicia na boca, mas diretamente no estomago, onde a comida cortada rudimentarmente chega através do esôfago de diâmetro entre 12 e 14mm, mas sumamente elástico, que permite a ingestão de bocados muito grandes.
O centro motor do aparelho digestivo é o robusto estomago, que permite o cão digerir cartilagens, pequenos ossos e grande quantidade de corpos estranhos. A comida permanece neles várias horas e pode ser este o motivo da sesta posterior á comida que o cão habitualmente se concede.

Faringe- ponto de encontro das vias digestivas e respiratória, comunicam-se com a cavidade oral, com as cavidades nasais, com o conduto laringo-tráqueo e com a cavidade do tímpano por meio da trompa auditiva.
Esôfago - tubo ácido que se comunica com a faringe, e se dilata somente quando passa o alimento. Recorre todo o pescoço, primeiro em forma dorsal em relação à traquéia, logo á esquerda, entra no tórax e se estende entre ambas as pleuras, atravessa o diafragma passando pelo hiato esofágico e chega ao estomago através do cárdia.
Estomago - esta provido de grande quantidade de glândulas que secretam diversos fermentos e ácido clorídrico, assim como as glândulas mucosas, que com sua secreção impedem que o estomago se auto-digira. A sua capacidade é variável: de até oito litros nos cães grandes. Termina noutra válvula, o piloro, a qual seque-se o intestino.
Intestino delgado - é mais curto nos carnívoros que nos herbívoros, mas sempre supera em varias vezes. O comprimento do individuo, por esta razão está dobrado formando várias asas. O conteúdo gástrico (quimo) se converte em quimo pelas secreções do fígado e do pâncreas, e é absorvido pelas vilosidades intestinais, muito compridas, em forma de dedo de luva ao avesso por onde circulam os capilares que, uma vez absorvido o conteúdo, o levam ao fígado. O intestino delgado não está claramente dividido em duodeno, jejuno e íleo.
Fígado - imediatamente abaixo do diafragma, encontra-se a glândula que secreta a bílis. Por uma depressão (ílio do fígado)entram e saem vasos, nervos condutos secretores. Outras depressões o dividem em lóbulos. O sangue, rico em substâncias absorvidas pelo intestino, chega ao fígado para ser reelaborado e selecionado, retendo as substâncias tóxicas que devem ser eliminadas. O sangue dos capilares reúnem-se nas veias hepáticas, que desembocam na veia cava. Além desta circulação, o fígado está provido naturalmente de artérias nutritivas e de veias. No parênquima hepático, o conjunto das células origina condutos cada vez maiores. As célula hepáticas segregam a bílis, que é levada pelo colédoco até a ampola duodenal, onde desemboca também o conduto proveniente do pâncreas. Em todos os animais domésticos, com exceção do cavalo, existe divertículo cuja missão é armazenar a bílis que se verterá no intestino no momento em que seja necessario saponificar os graxos ingeridos. Alem de segregar a bílis, e selecionar material absorvido, o fígado como o baço regula também o volume sanguineo, elabora glicose e glicógeno de reserva, produz uréia com as proteínas absorvidas, destrói e cria material para a formação do sangue, sintetiza ácido úrico, desenvolve uma ação desintoxicante.
Pâncreas - tem a forma de fita e está situado na zona dorsal sub-lombar, sobre o duodeno. Tem a estrutura clássica das glândulas: isto é parece um cacho de uvas com grãos muito apertados. A sua função é de fabricar fermentos hidrolíticos, proteolíticos, lipolíticos que atravessem o conduto excretorio para desembocar no duodeno. Alem disso grupos especiais de células produzem a insulina.
Intestino grosso - tem uns 80cm de comprimento, é dobrado. A sua função é de solidificar as fezes através da reabsorção de água. De maior diâmetro que o intestino delgado, apresenta protuberâncias separadas por estrangulamentos. O intestino delgado, desemboca no grosso não num extremo mas ao largo do seu curso. A parte do intestino grosso acima da desembocadura tem portanto fundo cego( intestino cego: entro 15 e 20cm de comprimento. O cão carece de apêndice)
Reto - tem a forma de ampola e é dilatável. Como é capaz de absorver uma quantidade de água considerável, deduz se que a via retal pode ser usada com facilidade para introduzir medicamentos supositórios, enquanto uma secura excessiva produz prisão de ventre, pelo endurecimento das fezes, que não conseguem sair pelo esfincter anal.
Fisiologia - tudo que se introduz no aparelho digestivo deverá ser solúvel em água para que se possa ser absorvido. O cão toma os alimentos pelo dentes incisivos e caninos, as bebidas com a língua, que funciona como uma colher o alimento é mastigado relativamente pouco, porque os sucos gástricos são capazes de digerir até cartilagens, pequenos ossos e uma variedade extraordinária de compostos estranhos. As glândulas salivares segregam a saliva por estimulo reflexo na presença de alimentos e diante da mera idéia do alimento. Algumas como as parótidas segregam em razão de atividade mastigatória,um liquido seroso e lubrificante; outras, as sublinguais, um liquido mucoso denso e viscoso; outras,um liquido misto,em virtude de reações gustativas.A saliva contem água,mucosidade,albumina,cloruros,fosfatos,bicarbonatos,alem da ptialina e alguns poucos fermentos.Graças a água e a mucina contidas na saliva,o alimento mastigado e empapado pode ser deglutido. No estomago,o suco gástrico exerce a sua ação junto com os demais fermentos.A pepsina,em ambiente acido,transforma as substancias protéicas em substancias mais simples:albuminas,peptonas e polipeptideos.O suco gástrico também tem uma notável ação antiputrida ,anti-fermentativa e microbicida.O pâncreas verte no intestino delgado a sua secreção formada de água, sais minerais e enzimas: a tripsina,que termina por dividir as proteínas,já reduzidas no estomago,em aminoácidos solúveis em água; a amilase,que continua a redução da maltose em glicose e do amido cru em maltose; a lípase,que divide as gorduras em glicerina e ácidos graxos solúveis.A bílis,vertida pela cistifelea,alem de favorecer a ação do suco pancreático,neutraliza o quimo muito acido proveniente do estomago e facilita a absorção das gorduras.Depois da emissão da bílis e do suco pancreático,o alimento toma contato com outras enzimas,que completam a divisão de proteínas,gorduras, carboidratos.Graças ao movimento de que esta dotado o intestino,o conteúdo e finalmente expulsado na forma de fezes,depois da absorção de substancias úteis e da água.Os acucares e o amido ,foram transformados em acucares solúveis em água e as gorduras saponificadas e transformadas em ácidos solúveis; a carne se transforma em aminoácidos solúveis. A água ,os sais solúveis,as vitaminas,todos os minerais absorvidos circulam para serem oxidados ou usados como material de construção ou armazenados como graxas de reserva pelos tecidos.As substancias não aproveitáveis ,filtradas pelos rins,serão eliminadas pela urina.

TABELA SOBRE DIGESTIBILIDADE DOS ALIMENTOS


Esta parte é muito importante para desenvolver um senso critico sobre alimentação do seu cão e vai lhe ajudar a formulação de sua própria ração ,se for o caso.

DIGESTIBILIDADE DOS ALIMENTOS

Os glucídios quase que exclusivamente pelo intestino (no homem,intervem também a saliva, a ptialina,em forma notável).E conveniente cozinha-los o dobro do necessário para o homem.O pão cozido e totalmente digerido; o pão normal,somente uns vinte ou trinta por cento.Digere-se numas 24 horas. A manteiga e pouco digerível, o toicinho muito mais. Se as graxas são cozidas,sua digestibilidade diminui muito.Os protídeos são digeridos em 90 por cento se são de origem animal; somente em 70 por cento se são de origem vegetal(as cenouras, somente uns 20 por cento). As proteínas animais são mais digestíveis cruas.O cálcio e o fósforo necessários para o cão são duas vezes e meia maiores que a quantidade necessária para um homem adulto. A água e absorvida quase imediatamente.


TABELA DO GASTO CALORICO


Sera muito útil também para o criador avaliar o gasto calórico aproximado de seu cão,de acordo com a raça. Para isso,deve-se calcular o metabolismo basal e compara-lo com o peso e o tamanho das raças citadas abaixo.

QUANTIDADE NECESSARIA DE ALIMENTO


Varia não somente em relação a idade, o peso,etc.,mas em função do trabalho realizado. O metabolismo basal corresponde ao gasto mínimo de energiasdo organismo em condições de repouso absoluto,expresso em calorias(quantidade de calor necessária para elevar de 14,5 a 15,5 graus uma grama de água destilada).No cão, apresentam-se os valores seguintes(Chiesa,Síntese da relação referente a alimentacao do cão):

RACA METABOLISMO BASAL

Total em calorias .................................... calorias por kg

Chihuaua 129 ............................................. 56,0
Pequinês 214 ............................................. 47,5
Basset 355 ................................................. 39,0
Chow-Chow 759 ....................................... 29,7
Pastor alemão 977 ...................................... 27
São Bernardo 1910 .................................... 20,9


Os valores são,portanto,muito mais alto nos cães de pequena eststura.O consumo energético em calorias nos cães adultos submetidos a diferentes trabalhos e o seguinte(de acordo com o mesmo autor):
Cão alimentado normalmente e em condições de repouso:

Calorias consumidas

Chihuaua 258
Pequinês 428
Basset 710
Chow-Chow 1590
Pastor alemão 1950
São Bernardo 3800

Trabalho leve(guarda,vida ao ar livre no inverno,corrida ou caçada duas horas diárias):

Calorias consumidas

Chihuaua 387
Pequinês 642
Basset 1065
Chow-Chow 2385
Pastor alemão 2927
São Bernardo 5710

Trabalho pesado(caçada oito horas diárias,guarda de rebanhos,etc.):

Calorias consumidas

Chihuaua 1032
Pequinês 1712
Basset 2840
Chow-Chow 6360
Pastor alemão 7816
São Bernardo 15280


* Futuramente teremos varias receitas de rações caseiras que deram certo,e cujo o custo pode ser ate 60% menor que as rações produzidas pelos fabricantes tradicionais.

Anterior |1|2|3| Proxima

Copyright © 2003 www.mountainsmankennelbrasil.kit.net - Tudo isso faz parte da minha imaginação, nomes, lugares, pessoas, são meramente coincidência. - Todos os direitos reservados.